Notícias

Maringá Futebol Clube completa 10 anos nesta sexta-feira

27/11/2020 11:23

Clube fundado em 2010 já possui cinco títulos, um vice campeonato estadual e participação histórica na Copa do Brasil

 

O Maringá Futebol Clube está em festa. Além do retorno à elite do futebol paranaense, conquistado na última quarta-feira, 25, o clube completa hoje, 27 de novembro, 10 anos de idade. Fundado em 2010, o Tricolor Maringaense coleciona em sua história, cinco títulos e um vice-campeonato estadual, além de jogos marcantes para o futebol maringaense.

Em sua curta história, o Maringá Futebol Clube se tornou um time vencedor e passou a representar a cidade no cenário estadual e nacional do futebol. Em 2010 foi fundado como Grêmio Metropolitano Maringá, por meio de um projeto social no Jardim Alvorada, e conquistou já o seu primeiro título, o da terceira divisão do Campeonato Paranaense.

Em 2012, mudou o nome para apenas Metropolitano Maringá e no ano seguinte, em 2013, conquistou seu segundo título, o da segunda divisão paranaense e o primeiro acesso à elite do futebol do estado. Logo em seu primeiro ano no Campeonato Paranaense, em 2014 o clube garantiu a vaga para a final da competição e ficou com o vice-campeonato.

“Me lembro como se fosse ontem, entrando pela primeira vez no CT, em 2010 para fazer parte de um projeto que tinha dia e hora pra acabar, assim nascia o Maringá FC na época Gremio Metropolitano Maringá. Mas de lá pra cá o clube caminhou, cresceu, conquistou o maringaense e também títulos. Lá se vão 10 anos de incontáveis histórias e momentos inesquecíveis vestindo essa camiseta, obrigado Maringá, por você existir, pois minha carreira não seria a mesma sem esse clube. Uma pena o título em 2014 não ter vindo, apesar de termos jogado melhor que o Londrina, acabamos deixando escapar nas penalidades”, explicou o atleta que mais vestiu a camisa do clube, Léo Maringá.

Em 2015, o clube teve uma participação histórica na Copa do Brasil, vencendo o Madureira na primeira fase da competição e fazendo um duelo histórico contra o Santos, na segunda fase. O primeiro confronto o Tricolor empatou em casa pelo placar de 2 a 2, com o Willie Davids lotado, com mais de 20 mil pessoas. No jogo de volta, o Santos acabou vencendo por 1 a 0 com gol de Ricardo Oliveira.

No segundo semestre o clube conquistou pela primeira vez a Taça FPF, garantindo a vaga na Série D do Campeonato Brasileiro de 2016.

A reformulação na gestão do clube começou em 2016, após o rebaixamento no estadual e a participação no Campeonato Brasileiro da Série D. Uma nova administração, com a entrada de empresários da cidade, mudou a forma de gerir o futebol na cidade, trazendo profissionalismo em todos os setores.

“Iniciamos o trabalho no clube praticamente do zero, pois implantamos uma nova filosofia de gestão, trazendo profissionais capacitados não só para o departamento de futebol, mas outros setores também. Iniciamos a estruturação para a montagem da S.A e passamos a ver o clube como uma empresa”, disse o atual presidente, João Vitor Mazzer.

Em 2017, as mudanças surtiram efeito. O clube conquistou dois títulos e novamente o acesso para a elite do estado e também para a Série D do ano seguinte. No primeiro semestre o Tricolor venceu a segunda divisão do paranaense e na segunda metade do ano foi bicampeão da Taça FPF.

Em 2018 o clube fez uma excelente campanha no estadual, ficando em quarto lugar na somatória geral de pontos, mas em quinto na classificação final. Já no campeonato nacional, conquistou pela primeira vez a vaga para a segunda fase da competição, mas acabou eliminado pelo Caxias no jogo de volta, fora de casa.

Em 2019, o MFC não obteve bons resultados em campo e novamente foi rebaixado para a segunda divisão estadual. Apesar dos grandes investimentos em infraestrutura no centro de treinamento do clube, a performance em campo não foi a planejada.

Em 2020, nos 10 anos de MFC, a diretoria montou um projeto ousado para buscar o acesso novamente à elite do estadual e de lá não sair mais. No entanto a pandemia afetou drasticamente os planos da equipe e o clube ficou inativo durante cinco meses, de março a agosto. Nesse intervalo, ações fora de campo foram realizadas e uma delas foi a votação da seleção dos 10 anos do Maringá FC.

Participaram da escolha profissionais da imprensa, funcionários e ex-funcionários do clube, atletas, ex-atletas e torcedores. A seleção dos 10 anos foi formada por Ednaldo no Gol, Reginaldo na lateral direita, Fabiano e Marcelo Xavier na zaga e Edinho na lateral esquerda. No meio de campo os escolhidos foram Serginho Paulista e Léo Maringá como volantes e Andrezinho e Max como meias. O ataque foi formado por Gabriel Barcos e Cristiano. O treinador de todos os tempos foi Fernando Marchiori.

Apesar da paralisação causada pela pandemia do Coronavírus e a queda nas receitas de patrocinadores, o MFC montou um time forte e garantiu a volta à primeira divisão de forma invicta e com a melhor campanha da história do clube na segunda divisão.

Agora, no próximo domingo o MFC espera colocar a “cereja no bolo”, com mais um troféu em sua galeria e conquistar o título da segunda divisão do Campeonato Paranaense pela terceira vez.